Oficinas Coreográficas

Em conjugação com a disciplina de técnica de dança contemporânea, as oficinas coreográficas pretendem que o aluno adquira competências de criação e composição coreográfica, através de técnicas de improvisação e pesquisa que simultaneamente o permitem explorar e desenvolver a sua própria linguagem, como criador.  Nesse sentido a turma de Oficinas Coreográficas desenvolve anualmente um projeto de criação coreográfica para apresentação.

Anualmente, um conjunto de jovens bailarinos (14 – 21 anos) participam numa criação de Dança Contemporânea no âmbito da disciplina de Oficina Coreográfica, lecionada na Academia de Dança de Matosinhos. Os bailarinos têm a oportunidade de desenvolver competências de interpretação e criação coreográfica contemporânea numa lógica de Companhia de Dança, contribuindo para o seu caminho de profissionalização.

 

Partindo de temas atuais com elevada relevância social, como a igualdade de género, exclusão social, discriminação, cidadania, entre outros, é desenvolvida uma peça artística em parceria com associações locais, entidades competentes governamentais e não governamentais, que colaboram na contextualização das temáticas e construção da pesquisa artística. 

O trabalho de residência artística estrutura-se no levantamento de informação de contextualização do tema, de ações promovidas pelas organizações parceiras, e de conteúdos tais como vídeos, artigos científicos e campanhas de sensibilização, formando os jovens bailarinos e inspirando a criação alicerçada em temas atuais e de elevado impacto comunitário.

O material é desenvolvido em colaboração com os jovens bailarinos, estimulando o pensamento critico dos intervenientes e a capacidade de transpor para o corpo conceitos, sentimentos e emoções associados ao tema. A criação é apresentada à comunidade, nomeadamente nas escolas locais, numa campanha de sensibilização para as áreas temáticas selecionadas, inspirando a reflexão e a discussão conjuntas.

Through Midas’ Eyes

 

Idealizada especificamente para as comemorações do 3º aniversário da Casa da Arquitectura, a instalação interactiva “Through Midas’ Eyes”, concebida pela Moradavaga, visa alterar e expandir a percepção dos transeuntes em relação a si próprios e ao ambiente circundante.   


Usando um conjunto de prismas triangulares móveis revestidos de espelhos dourados numa das faces, o projecto é inspirado no famoso mito do Rei Midas, cujo toque tudo transformava em ouro.

 

Esta excepcional faculdade, que inicialmente parecia uma bênção e acabou por tornar-se uma maldição para o soberano, estabelece um paralelo a nível metafórico com a particular situação que o mundo atravessa devido á corrente pandemia, na qual as habituais manifestações de saudação, afecto, toque e, no geral, de sociabilização livre, se encontram condicionadas devido aos riscos de contágio.

Tendo este contexto como pano de fundo a peça transformará tudo o que os observadores olharem em “ouro”, permitindo, através de diferentes configurações espaciais ao longo do tempo, uma variedade de jogos de espelhos de carácter tanto lúdico quanto reflexivo.  


Em articulação com a Academia de Dança de Matosinhos, o projecto contará igualmente com vários momentos performativos, a cargo do núcleo de bailarinos do programa de Oficinas Coreográficas, que enfatizarão através da música, expressão dramática e figurinos as narrativas acima expostas, cruzando os diferentes âmbitos referidos.  

Ficha Técnica: 

Instalação: Moradavaga
Coreografia: Sara Silva 
Intérpretes: Francisca Branco, Marta Saraiva, Miguel Pinheiro, Rita Saraiva 
Figurinos: Diana Amaral

De Lugar Nenhum

 

No ano letivo 2019/2020 o projeto Dançar por uma Causa desenvolveu uma nova criação coreográfica debruçando-se desta vez sobre a crise mundial dos migrantes e sobre as histórias de vida dos refugiados num projeto intitulado DE LUGAR NENHUM.

 

De Lugar Nenhum pretende alertar os Jovens para a maior crise humanitária desde a 2ª Guerra Mundial – a crise dos refugiados. Desde 2015, a União Europeia conhece um fluxo sem precedentes de refugiados que fogem da guerra, de perseguições e da pobreza extrema.

 

A Plataforma de Apoio aos Refugiados estima que há 65 milhões de pessoas deslocadas no mundo inteiro. 40 milhões de pessoas migram dentro dos seus próprios países por motivos como a guerra, a pobreza e a perseguição politica, sendo que 22,5 milhões são refugiadas.

O projeto aborda pela via da dança contemporânea as questões ligadas aos direitos humanos, aos direitos civis, ao valor da liberdade e da dignidade, às relações de alteridade, à existência 

de discriminação, às tensões e conflitos inerentes às relações sociais, e aos medos, desculpas e preconceitos criados em redor das pessoas que, por diversos motivos, são obrigadas a fugir de casa e a procurar proteção noutros países.

Por causa da pandemia a estreia do projeto ficou adiada para 20/21.

 

Um especial agradecimento à Docapesca - Portos e Lotas, S.A. e ao O projeto foi apresentado no âmbito do Orçamento Participativo promovido pela Junta de Freguesia de Matosinhos e Leça da Palmeira e ganhou o segundo lugar.

Ficha Técnica: 

Coreografia: Sara Silva 
Intérpretes: André Barros, Beatriz Machado, Francisca Branco, Francisca Ribeiro, Mariana Cunha, Miguel Pinheiro, Rita Saraiva 
Figurinos: Diana Amaral

Vídeo: Diana Amaral 

Música: Sechs Klavierstucke, Op. 12: No.5 Walzer In F#, Martin Berkofsky 

Agradecimentos: Docapesca - Portos e Lotas, S.A.

Não faças da violência o teu género

 

No ano letivo de 2018/2019 o projeto Dançar por uma Causa desenvolveu uma nova criação coreográfica debruçando-se desta vez sobre o Bulling e a Violência no Namoro . A Academia associou-se à Associação Plano i e efetuou diversas sessões da peça coreográfica nas escolas da região. 

A sessão de esclarecimento sobre a temática foi provida pelas técnicas da Associação Plano i. No fim do espetáculo os bailarinos distribuíram informação que permitiu a divulgação do questionário sobre o levantamento de dados sobre a Violência do Namoro. Este projeto foi também apresentado na Bienal Arte Gaia.

Ficha Técnica

Produção: Academia de Dança de Matosinhos Parceria: Plano i Coreografia: Sara Silva Intérpretes: Ana Barros, Beatriz Oliveira, Cláudia Fernandes, Diana Lopes, Francisca Ribeiro, Miguel Pinheiro, Vítor Silva

Design do cartaz: Ângela Metelo

Design do coração: Mariana Almeida Mattos

Edição e captação de imagem: Bernardo Coelho

Música do teaser: O navio dela, Manel Cruz

Agradecimentos: Manel Cruz, Bernardo Coelho, Mariana Almeida Mattos